" AMOR DE MÃE "

Porque hoje eu sonhei com ela e ela estava voando...


Eu sempre lembro dela

quando olho as nuvens,

não às escuras e mal humoradas

e sim às leves e azuladas.



10 comentários:

Adriana Godoy disse...

Bonito o poema pra sua mãe. Embora no CTI também vejo a minha como nuvens leves e azuladas. Beijo

Lara Amaral disse...

Que bonitos versos, Nelson! E o que o seu olhar nos revelou da foto é pura poesia.

Beijo grande!

byTONHO disse...



Lindo!

A minha tá bem velhinha (88 velinhas),
tá virando nuvem, branquinha...

:)

Desbúruru disse...

Como um passaro livre
aasim te quero

Como um passaro livre
assim te vejo

Mamãe.........

Posso voar também?

Sam disse...

Que a beleza de seus versos
seja o inverso dessas aberturas folhosas
sejam preenchidas de mãos amorosas,
cores tamanhas
nesse levitar de mãe.

Mãe 'doce feito algodão doce. Algodão doce... parece mesmo nuvem... açucara em amarelo por-de-sol.

Lindo, lindo.

Tua poesia me cativou os olho!

Abraços, flores e estrelas...

Wania disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wania disse...

Nelson

As mães sempre voam... e quando partem nos deixam as suas asas!




Mãe: expiração e inspiração!
Bjs

Sr do Vale disse...

Elas permeiam o céu.

Canteiro Pessoal disse...

Sempre digo que somente ela é conhecedora dos meus atalhos, anseios, temores, frustrações, amadurecimento, quando o sorriso e lágrimas dizem outras coisitas, dos tantos questionamentos, ser- critíco que sou, com palavras afáveis e simples se torna luz e inspiração para plantio e colheita na minha existência.

Abraços


Priscila Cáliga

Desbúruru disse...

As folhas, as bolhas, as rugas.

A mão ressecada pelo tempo

A face contraída pela experiência.

E assim vamos respeitando.

Cada minuto e dia que passam.

Tudo o que ela(s) nos fez(izeram).

Todas com espaço garantido no céu.